Skip to content

Efetividade do Programa Universidade Para Todos no Brasil

Efetividade do Programa Universidade Para Todos no Brasil

No artigo de hoje vamos discutir a política da Prouni – Universidade para todas as políticas, que tem sido implementada no Brasil em um esforço para aumentar o acesso dos desfavorecidos à educação pós-secundária. A fim de proporcionar uma melhor compreensão do problema, três pontos de interesse são inicialmente abordados: desigualdade de renda, analfabetismo e uma breve revisão da história do ensino superior no Brasil.

Em muitos estudos que se vê sobre o Prouni e o processo de inscrição (feito por prouni2019.eco.br) menciona-se algumas políticas que foram implementadas na década de 1990, com o objetivo de aumentar o número de instituições de ensino superior, e aborda a implementação do programa Prouni. Em geral, apresenta-se três pontos de vista concorrentes sobre a política em questão no que respeita aos investimentos no sector privado, à qualidade da educação e à retenção de estudantes, de modo a demonstrar como os programas de incentivo a inclusão universitária no Brasil foram eficazes.

O histórico da educação universitária no Brasil

A educação no Brasil tem uma longa história de negligência, e a fim de proporcionar uma melhor avaliação da Prouni-Universidade
para todos-uma política de educação relativa ao acesso ao ensino superior no país- , este artigo abordará inicialmente
três pontos de interesse: desigualdade de renda, analfabetismo, e uma breve revisão da história do ensino pós-secundário em
Brasil. Como resultado direto da desigualdade social, o analfabetismo adulto tem sido um problema no Brasil desde os tempos coloniais. Contrario.


Para o Canadá e os Estados Unidos, por exemplo, que eram colônias de assentamento, o Brasil era uma colônia de exploração.
Em uma colônia de assentamento, as famílias vêm para a nova terra, a fim de começar uma nova vida. Há um forte sentido de
compromisso no seio da comunidade de colonização. Em uma colônia de exploração, por outro lado, os indivíduos são enviados para o
Colônia com o objectivo de explorá-la para a metrópole. Não há compromisso com a fundação de uma nova nação.
Além disso, o Brasil foi colonizado por Portugal católico e, portanto, não experimentou a idéia protestante de que
cada indivíduo tem que ser alfabetizado a fim de ler a Bíblia. Por conseguinte, durante séculos, nunca houve
tentativa no País de educar a população.

Só no século XX foram tomadas as primeiras iniciativas de luta contra o analfabetismo. Educação de Jovens e adultos
começou no início da década de 1930, enquanto o país estava passando por mudanças importantes em relação à industrialização e
urbanizacao. A necessidade de uma força de trabalho qualificada deu origem ao estabelecimento dos primeiros programas educacionais.

No início da década de 1960, Paulo Freire concebeu o chamado” Sistema Paulo Freire “ou ” método”, que era um sistema de
técnicas educacionais que poderiam ser aplicadas a todos os níveis de educação formal e informal, apesar do aumento da matrícula no ensino superior no país, há opiniões concorrentes sobre o programa.

Três grandes questões são: o facto de o Governo ter optado por utilizar o sector privado para resolver o problema
em vez de investir mais em projetos sociais semelhantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *